Domingo, 22 de Abril de 2007

"O Mostrengo" - cont. da análise

Þ A emoção dramática consegue-se através da expressividade das:

 

Metáforas Þ «nas minhas cavernas» (v. 6)

                          «meus tectos negros do fim do mundo» (v. 7)

                          «e escorro os medos» (v. 16)

                          «a vontade que me ata ao leme» (v. 26)

 

Cavernas/Tectos negros Þ sugerem o mistério impenetrável de qualquer coisa medonha

 

Escorro os medos Þ permanência do terror, qualquer coisa como uma fonte perene de medo

 

Ata Þ sugere a missão inalterável do marinheiro, ligado fatalmente à vontade de D. João II

 

Repetição (reiteração) Þ «Três vezes» (6 vezes)

                                                           ¯

                                   De conotação ocultista ou cabalística, ligada ao destino à fatalidade

 

Anáfora Þ Dois primeiros versos da 2ª e 3ª estrofes

 

Função emotiva Þ Exclamações (último verso de cada estrofe = espécie de refrão que repete a emotividade do marinheiro)

 

Interrogação Þ 1ª estrofe (uma vez), 2ª estrofe (3 vezes)

 

                        Þ Exprime a emotividade agressiva do mostrengo ® função emotiva, fática e imperativa.

 

Repetição do refrão Þ Acentua a ligação inabalável do marinheiro à vontade de El-rei; constitui uma espécie de coro, uma espécie de voz secreta do destino a incitar o marinheiro a cumprir a sua missão.

 

Personificação Þ Do mostrengo ® funciona como símbolo dos perigos e ameaças do mar tenebroso

 

 

 

Þ A tensão dramática atinge o clímax na última estrofe ® Drama no íntimo do homem do leme = dividido entre o terror e a coragem

                                   ß

            Simboliza a coragem, a determinação e a ousadia dos marinheiros portugueses de Quinhentos.

 

 

 

Bibliografia: BORREGANA, António Afonso - O texto em análise. Lisboa: Texto Editora, [s.d.]. 

publicado por novosnavegantes às 21:20
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Ela canta, pobre ceifeira

. Trabalhos realizados no â...

. Trailer-Homens Há Muitos

. Semana da Leitura: Sessão...

. Francisco Salgueiro na BE...

. Trabalhos realizados no â...

. "Praia da saudade" de Fra...

. Semana da Leitura: Progra...

. Francisco Salgueiro: entr...

. Concurso Nacional de Leit...

. "Chovem papéis"

. Serão de Memórias - Escol...

. Serão de Memórias -Escola...

. Serão de Memórias - Escol...

. Semana da Leitura: Sessão...

.arquivos

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Outubro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

.tags

. todas as tags

.links


Contador web
Visite nosso site Gifs Lily
blogs SAPO

.subscrever feeds