Domingo, 22 de Abril de 2007

Fernando Pessoa e os Heterónimos (2)

O ano de 2006/2007 trouxe, também, até mim alguns alunos que admiravam muitíssimo Fernando Pessoa e os seus Heterónimos.

 

Para além de textos e apresentação de trabalhos escritos, surgiu também uma tela elucidativa da figura de Fernando Pessoa e dos seus Heterónimos, intitulada "Ele e os Outros Ele".

 

Vou deixar neste espaço a tela pintada pela Mariana Chaves e o texto que ela escreveu sobre Fernando Pessoa, antes de eu dar o autor.

É um texto lindo, que mostra de forma muito clara a sua admiração, o seu encanto por esta personalidade tão extravagante, tão imprevista da nossa literatura.

 

00037p02

 

Fernando Pessoa: um louco que sonha alto ou um génio desmedido?

 

Fernando Pessoa aos olhos da sociedade de que fazia parte era um louco, mas o mesmo Fernando Pessoa, hoje, na nossa sociedade e na nossa literatura é um génio. Um génio que deu à alma uma vida própria, deixando que esta, aliada ao subconsciente e à escrita, criasse um mundo novo, em que se refugiava com o seu cigarro, o seu café e a sua cachaça, todas as tardes.

 

E em cada poema deixava um pouco que dizia não ser seu ("Como se lhe fosse ditado", escreve), mas de outros homens: Vicente Guedes, Alberto Caeiro, Ricardo Reis, Álvaro de Campos ou António Mora. Todos eles habitam o dito mundo, e este, por ser criado numa só mente e por um só ser humano, podia ser limitado, pequeno, quase uma minúscula cidade; mas não; Fernando Pessoa criou um universo tão intenso, tão vasto que os seus habitantes, em cada poema, actuavam como uma longa-metragem ("alguns conheceram-se uns aos outros; outros não").

 

Desta forma, cada uma destas personagens, correspondia a um estado de espírito, a uma disposição, a uma aura do génio, "Tenho, na minha visão a que chamo interior (...) plenamente fixas, nítidas, conhecidas e distintas, as linhas fisionómicas, os traços de carácter, a vida, a ascendência, nalguns casos a morte destas personagens".

 

E se cada uma delas tinha a sua importância, Álvaro de Campos era sem dúvida aquela que se destacava. Talvez quando esta entrava em cena (pelas letras cuidadosamente conjugadas em versos), Pessoa estivesse num estado de semi-consciência, de transição, de passagem entre o sonho e o real, entre a Terra e o mundo da poesia que ele próprio criara.

 

Nessa altura, escapava um pouco de si próprio, ("do autor humano destes livros"), para o papel e por entre as linhas ter-se-ia reconhecido algumas vezes: "A mim pessoalmente, nenhum me conheceu, excepto Álvaro de Campos".

 

Desta forma, conhecê-lo a ele, ao Poeta, pode ser mais fácil se se delimitar nos poemas deste último heterónimo, onde acaba quem se diz autor dos mesmos, e onde começa o realizador, o génio desmedido ou "Louco que sonha alto", que foi Fernando António Nogueira Pessoa.

 

Conhecê-lo é não ler cada palavra escrita por seu punho, só por olhar, é perceber o significado de cada uma em si mesma, enquadrando-a no pensamento, no espírito e no dia-a-dia de quem a escreveu. Esta não é, porém, uma tarefa fácil, exige perspicácia, informação e conhecimento.

 

Conhecer Pessoa é apercebermo-nos da vida, da vivência, da vitalidade e da vivacidade que ganha cada rima no seu contexto. Mas afinal, tal como questionara o poeta "O que é a Vida?"...

 

FIM

 

 

Multipliquei-me, para me sentir

Para me sentir,

precisei sentir tudo,

Transbordei,

não fiz senão

extravasar-me,

Despi-me, entreguei-me,

E há em cada canto

da minha alma

um altar

a um deus diferente.

 

                  Fernando Pessoa

publicado por novosnavegantes às 17:06
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Ela canta, pobre ceifeira

. Trabalhos realizados no â...

. Trailer-Homens Há Muitos

. Semana da Leitura: Sessão...

. Francisco Salgueiro na BE...

. Trabalhos realizados no â...

. "Praia da saudade" de Fra...

. Semana da Leitura: Progra...

. Francisco Salgueiro: entr...

. Concurso Nacional de Leit...

. "Chovem papéis"

. Serão de Memórias - Escol...

. Serão de Memórias -Escola...

. Serão de Memórias - Escol...

. Semana da Leitura: Sessão...

.arquivos

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Outubro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

.tags

. todas as tags

.links


Contador web
Visite nosso site Gifs Lily
blogs SAPO

.subscrever feeds